Papers Please (PC)

Informações Técnicas

Desenvolvedor: 3909
Distribuidora: 3909
Steam: https://store.steampowered.com/app/239030/Papers_Please/
Twitter: https://twitter.com/dukope (desenvolvedor)
Facebook: https://www.facebook.com/PapersPleaseOfficial/

Conquistas? Sim.
Cartas? Sim.

A primeira coisa que me chamou a atenção nesse jogo foi a tradução. Ele foi muito bem localizado (pelo menos para português), ao jogar você não vai ter a impressão que pegaram os textos do jogo e jogaram em um tradutor. Isso por si só já demonstra o cuidado para que o produto tenha qualidade para não falantes de inglês.

A mecânica do jogo é bem simples, você precisa comparar informações e autorizar o acesso de pessoas para um país chamado Arstotzka.
Conforme você vai progredindo, novas regras começam a ser inseridas, aumentado gradativamente a dificuldade e a quantidade de verificações que você precisa fazer para liberar a entrada da pessoa no país. Ao poucos, situações e personagens inesperados aparecem, dando um toque de “escolhas morais” e fazendo você ficar divido entre o que é certo e errado.

Ao final de cada dia, um balanço é feito e seu pagamento depositado. Seu salário é descontado conforme seus gastos pessoais, que incluem o de sua família.
Se você liberar alguém com passaporte falso, por exemplo, não será penalizado a princípio. Porém, conforme esses pequenos erros começam a ficar recorrentes, além da notificação de alerta (que por si só já gera uma grande pressão psicológica! hahaha), isso começa a ser descontado no seu salário, impactando diretamente nos gastos com a sua família.
O jogo te pressiona muito a não cometer esses erros. No final do dia, não dar conta de pagar as contas te levará ao game over.

Considerações finais – Analisando o jogo como um todo

Gráficos: 10/10. Apesar dos gráficos serem simples, a identidade visual do jogo é muito bonita e bem feita. Um exemplo perfeito do “menos é mais”.
A tipografia foi muito bem pensada, deixando a estética do jogo e total harmonia.

UI e HUD: 8/10. O menu principal e o seletor de dias (que seriam “capítulos” do jogo) funcionam bem.
No entanto, me senti um pouco perdida nas novas mecânicas que são aos poucos inseridas no jogo. Cada dia que passa, você é introduzido a uma nova verificação e nem sempre fica claro como fazê-la. Então você acaba perdendo um pouco de tempo, para ler as instruções e entender como ela funciona, e isso inevitavelmente acaba prejudicando seu rendimento no jogo, forçando-o a começar novamente o dia.

Trilha Sonora e sons: 10/10. Não tem absolutamente nada de extraordinário na trilha sonora e nem nos sons, mas ele combinam perfeitamente com a vibe do jogo.
Os sons da tela inicial e dos “diálogos” grudam na cabeça, é engraçado como nos induzem a entrar na atmosfera de Arstotzka. Basta alguns minutos jogando e você estará imitando os ruídos produzidos durante o game hahaha

Jogabilidade: 10/10. Apenas o mouse é necessário para jogar. Mas conforme o seu progresso vai deslanchando, cada vez mais será necessário destreza (tanto física quanto mental) para atender rapidamente as pessoas na fronteira.
Além de escolhas morais, o jogo possui vários finais. São várias combinações de ações, ótimo para nos fazer quebrar a cabeça.

Fator replay: 10/10. É um jogo que dá para perder horas jogando sem perceber, com um fator replay muito alto. Além do modo história, há um modo “Infinito”, no qual você fica jogando eternamente.

 

Nota máxima em todos os quesitos! Selo Anika Approves!

Posts Relacionados

Gostou? Então mostre para seus amigos! Compartilhe!
  • 8
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    8
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*