Pocahontas (Mega Drive)

Informações Técnicas

Desenvolvedor: Funcom, Disney Interactive Studios
Distribuidora: Funcom, Disney Interactive Studios
Lançamento: 1996

Outras plataformas: 

Um jogo de plataforma que mescla muito bem elementos de puzzle.
A história inteira é baseada na animação da Disney, não espere nada além disso. Entre uma fase e outra, aparecem algumas cenas com textos, muito bem feitas.

Você controla a Pocahontas e o guaxinim Meeko, eles trabalham cooperativamente para solucionar os quebra-cabeças para avançarem no jogo. A Pocahontas possui a habilidade de absorver o espírito de certos animais e com isso ganha determinadas habilidades (correr, nadar, subir em árvore, etc). Essas habilidades são necessárias para conseguir prosseguir no game.

A dificuldade é bem fácil, acho bem recomendável para crianças que estão começando a ter o primeiro contato com jogos.

Considerações finais – Analisando o jogo como um todo

Gráficos: 10/10. A paleta de cores do Mega Drive foi muito bem aproveitada devido ao estilo de arte que resolveram utilizar no jogo, uma arte simples com cores do mesmo tom contrastando.
As animações, as movimentações dos animais e da Pocahontas ficaram maravilhosos (principalmente ao nadar e ao subir nas árvores).
Os backgrounds também foram cuidadosamente bem desenhados, com folhas e animais ao fundo.
Toda a capacidade e limitações do Mega foram utilizados da melhor forma possível, os gráficos ficaram maravilhosos.
UI e HUD: 10/10. O jogo não possui HUD, para ver os espíritos colhidos o jogador deve pressionar o botão do joystick. Os menus são bem diretos e a tela de password é fácil de mexer e entender.
Trilha Sonora e sons: 9/10. Foram utilizadas músicas do filme, recomendo fortemente utilizar um headphone para aproveitar ao máximo! A linha do baixo ficou maravilhosa.
Único defeito é que se o jogador ficar muito tempo em uma determinada fase, a música começa a enjoar.
Jogabilidade: 8/10. Jogabilidade simples, o próprio jogo vai dando instruções conforme você vai colhendo os espíritos dos animais.
O maior (e na real, o único) problema está nos hitboxes dos cenários, ao correr e pular ou correr e escalar uma árvore, você precisa fazer isso no ponto certo senão o jogo não identifica a área de atrito e consequentemente você cai/morre. Isso dá bastante raiva em certos pontos do jogo.
Há alguns save points espalhados, para caso morrer não ter que voltar desde o começo da fase. Mas ao desligar o video game, terá que utilizar um password caso não queira começar na primeira fase.
Fator replay: 5/10. O jogo em si é curto e fácil. Não tem nada que vá te fazer retornar após finalizar o jogo, com exceção da nostalgia mesmo (eu por exemplo, joguei muito esse jogo na infância. Tenho muito carinho e boas lembranças com ele).

Gostou? Então mostre para seus amigos! Compartilhe!
  • 17
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    17
    Shares

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*