Mark's Life
Indie PC

Mark’s Life (PC)

Informações Técnicas

Desenvolvedor: Thirteendays
Distribuidora: Thirteendays
Lançamento: 21/Dez/2021
Steam: https://store.steampowered.com/app/1802210/MARKS_LIFE/

Tem conquistas? Sim.
Tem cartas? Não.

Outras plataformas: Android.

Mark Ross mudou-se para Sullen Town, após a morte de seus pais.
Viva 13 dias da vida de Mark e veja o mundo através de seus olhos depressivos.

  • Mark's Life

Considerações finais – Analisando a obra como um todo

Gráficos
O jogo inteiro é em preto e branco, com alguns poucos objetos coloridos.
Não entendi exatamente o porquê das cores, já que há momentos em que é possível interagir com pessoas, animais e objetos que não são coloridos mas parecem ter importância no andamento da história.

Tudo foi feito em pixel art e apesar da simplicidade, ficaram bem feitinhos.

 

UI e HUD
Não curti. E minha crítica nem é com a estética.

Possui erros gramaticais e de acentuação na localização.
A hud não é muito intuitiva. Nela aparecem os dias (e conforme você vai dormindo, eles vão sendo riscados) e o posicionamento dos objetos/pessoas/animais que você pode interagir, como se fosse um mapa.
Até aí, tudo bem. Mas tudo fica sinalizado com a cor roxa, indicando o onde você deve ir. Não entendi a lógica por trás, pois se o foco é indicar o caminho, não me faz muito sentido ter outras interações que não acrescentam em nada na história. Se o objetivo é induzir o jogador a explorar os cenários e interagir, essa sinalização não deveria existir (pois obrigaria o jogador a descobrir o caminho certo na tentativa e erro).

As coisas que têm destaque no jogo estão na cor roxa.
É uma cor fria, mas acho que um azul teria reforçado melhor a sensação de tristeza e introspecção.

A fonte escolhida também me pareceu ser qualquer uma. Um fonte básica com serifa. Não tem nada a ver com a estética nem com o ar depressivo do jogo.

Apesar desses probleminhas, tenho uma ressalva: quando efeitos sonoros tocam, é exibida uma descrição do som.
Achei bem inclusivo, é importante esse zelo para pessoas surdas se sentirem mais imersas na história.

 

Trilha Sonora e sons
Mark’s Life possui músicas melancólicas que retratam bem o clima depressivo do jogo.
Algumas beiram o irritante, infelizmente. Pois são compostas por apenas uma sequência de notas em loop e tornam-se realmente cansativas depois de um tempo ouvindo.

Os efeitos sonoros seguem uma linha retrô, como se fossem de um jogo de 16 bits.

 

Jogabilidade
Um jogo puramente narrativo que fala sobre o dia a dia de Mark, um rapaz depressivo que enxerga a vida somente em tons de cinza e não vê esperança no amanhã.

Visivelmente um jogo de baixo orçamento e que me passa a sensação que foi inteiramente feito por uma única pessoa.
Mesmos com os defeitos, tenta passar uma mensagem de conscientização e empatia.

Gosto muito de jogos reflexivos, que nos botam para enxergar o mundo por outros olhos, mas particularmente achei esse fraco. Não me fisgou, achei tudo muito aleatório e sem profundidade.
Os eventos vão ocorrendo e é isso. Não tem envolvimento, um enredo que prenda, algo mais bem elaborado. E isso não tem nada a ver com a duração do jogo, pois há jogos curtíssimos com uma história bem trabalhada (A Date in the Park e One Night, Hot Springs são bons exemplos disso).

O gameplay é bem simples, você deve apenas seguir as ações que aparecem na tela.
O jogo diz ter compatibilidade com joystick, testei com o do PlayStation 4 e não funcionou. Tive que jogar pelo teclado mesmo.

Não ocorreu nenhum bug enquanto eu jogava (ponto positivo!) e caso você não queira jogar tudo numa tacada só, é possível salvar o seu progresso.

Enfim… pode ser que agrade jogadores menos exigentes.

 

Replay e retenção
É um jogo curto e a única chance de te prender para um novo gameplay vai ser pelas conquistas.
Infelizmente para mim não funcionou e assim que terminei, o desinstalei. :/

Deixe um comentário