Porque o Amor Existe!
Eróticos Mangá

Porque o Amor Existe!

Informações Técnicas

Título no Brasil: Porque o Amor Existe!
Título original: Ai ga aru kara osu! (愛があるから押忍!)
Autor: Susu Kato
Artista: Susu Kato
Volumes: 1
Lançamento: Set/2021
Editora: NewPOP

Touma é o filho herdeiro do clã yakuza Hyuuga. Aya é seu mais novo guarda-costa, que lhe jura lealdade a todo custo. Mas o que Touma não esperava é que Aya é uma travesti e irá mexer com suas mais profundas emoções e vontades.

  • Porque o Amor Existe!

Considerações finais – Analisando a obra como um todo

Arte
Eu gostei bastante do traço, principalmente da Aya. Susu conseguiu dar um toque muito andrógino nela, reforçando em momentos oportunos seu lado bruto e fofo.
Touma também foi bem trabalho, sendo bem expressivo e notávelmente ingenuo em algumas partes. É inevitável ler algumas partes e não pensar “putz, que rapaz bobinho”.
Os protagonistas são bem expressivos e como se isso não fosse o bastante, também há o desenho de algumas expressões dentro de alguns balões, trazendo mais ênfase nas emoções de cada diálogo.

O foco está totalmente nos protagonistas, então esqueça cenários ou ângulos cinematográficos.
Eventualmente um cenário ou outro aparece, mas a grande maioria dos quadros estão em branco ou com alguma película de preenchimento.

O ápice da arte está nos momentos que Aya e Touma interagem. Muito fofinho, nem parece que tem putaria hahaha
As cenas de sexo são bem desenhadas, porém não consigo esconder a minha tristeza e insatisfação com a censura. Realmente não imaginei que esse mangá estaria censurado, foi uma grande surpresa para mim! 🙁

 

Roteiro e História
A história parece meio bobinha, a princípio.
Touma é o filho herdeiro do clã, o cara com pinta de malvadão e mulherengo. [ads_blur_spoiler]E com o desenrolar da história, toda essa imagem é desconstruída.[/ads_blur_spoiler]
Aya tem sua dualidade muito bem explorada, ora é o cara de terno que ninguém mexe e mete porrada em todo mundo, ora é uma travesti sedutora e misteriosa, vestida em um quimono.
Eu consegui visualizar muito bem esses momentos de transição, onde até mesmo a voz dela mudava de uma postura para outra. Inclusive, consegui até ouvir alguns momentos em que Aya é apenas um rapaz de voz afeminada e que dá mas desmunhecadas.
Achei a construção desse personagem muito interessante e totalmente fora dos clichês que são retratados em histórias homo afetivas.

O título desse mangá já dá a maior dica: é uma história bem bonitinha, feita para leitores que gostam de uma narrativa sensível. Ela fala de amor e tesão de uma forma bem suave.
Por ser um volume único, não espere por nada aprofundado, tudo acontece rápido.

As cenas de sexo são bem intensas, mas por também retratar descobertas, não ficaram ligadas somente no âmbito carnal.
Eu gostei bastante, e como disse anteriormente, achei que a obra como um todo foi retratada de um modo muito fofinho.

Deixe um comentário