Artigos

O Gamer e a Síndrome do “você não viveu a época”

“…Mas você não viveu a época” – Argumento usado por pessoas que precisam se sentir importantes e nunca fizeram nada para isso. Então usam o ano de nascimento e os videogames que jogaram na época, para alimentarem o ego e pisarem em adolescentes e jovens adultos que estão começando a se aventurar no mundo dos games.

Jovem Anika, se divertindo jogando Super Bomberman 3 no emulador. Tudo isso no começo dos anos 2000.

Ter crescido nos anos 70, 80 ou 90 não te faz melhor que ninguém. Apenas aceite isso.
A molecada de hoje em dia pode muito bem pegar os joguinhos de 8 e 16 bits (que tantos endeusam) e conhecer tanto quanto esses babacas que se sentem superiores por terem vivido na década em que esses jogos ainda eram novidade.

 

A época que essa galera está vivendo é única, como cada geração passada foi. E isso nunca vai fazer ninguém mais importante nem mais conhecedor de nada.
Me lembro muito bem quando eu era criança e via pessoas mais velhas afirmarem convictamente que os brinquedos mais legais, os desenhos animados mais criativos, os melhores jogos, eram todos de sua época.
Talvez a nostalgia seja a culpada. A gente sempre tem essa tendência meio cega de achar que o que vivemos em nossa infância e juventude é melhor do que as posteriores.
Infelizmente muitos gamers old school tem essa síndrome do “você não viveu a época”, como se isso desse passe livre para desmerecer pessoas mais novas.

Quer conhecer um jogo? Simplesmente jogue-o.
Quer conhecer uma geração de jogos? Simplesmente jogue os jogos dessa época.
Suas experiências serão tão únicas quanto a de quem viveu na época em que videogame X era de última geração.
Boas lembranças a gente cria vivendo, independente de quando isso aconteceu!

 

 

Propaganda da Power Glove.

Conhecimento se constrói. Se alguém gosta realmente de uma geração de video games, um console ou uma franquia, ela vai pesquisar bastante sobre isso e pode ter certeza que poderá entender muito mais que esses pau no cu que só faltam estampar a data de nascimento na testa para pagarem de manjadores de jogos.

“Você gosta de música barroca? Mas você não viveu na época, não é a mesma coisa!”
“Você gosta de artefatos da segunda mundial? Mas você não viveu na época, não é a mesma coisa!”
Isso soa tão retardado! Não faz sentido nenhum! Por que tem que ser diferente com jogos?
Eu não quero tirar o mérito de quem viveu um determinado período, eu tenho certeza que foi incrível, assim como a minha infância também foi. Mas isso não é motivo para achar que pode diminuir alguém, chamar de poser ou qualquer outra coisa do tipo.
Com o passar do anos, aprendi e conheci muitos jogos e consoles que nunca nem se quer encostei quando era novinha. E até hoje continuo aprendendo.

Fica aí a reflexão.
Sejam menos cuzões com a molecada.

 

 

Deixe um comentário